SUSPENSO Curso de Formação Política em Saúde

Car@s inscritos do curso de Formação Política em Saúde – turma 12 intensivo

Devido à pandemia nosso curso que aconteceria entre os dias 18 a 22 de maio de 2020 está SUSPENSO.

Sendo possível, pretendemos realizá-lo entre os dias 6 e 10 de julho de 2020, e você pode optar por aguardar ou ser reembolsado.

Caso queira ser reembolsado nos envie email no apsp.saudepublica@gmail.com colocando no assunto:
Reembolso FPS

A APSP agradece e espera contar com sua participação no curso.

______________________________________________________________________________

O curso, dividido em módulos, abordará criticamente os conceitos teóricos de política e Estado em paralelo com as discussões próprias do campo da saúde coletiva. O propósito do curso é a reflexão sobre os desafios contemporâneos da saúde pública na realidade brasileira.

PÚBLICO-ALVO:
Trabalhadores do SUS, militantes, graduandos e pós-graduandos na área da Saúde Coletiva, Saúde em geral, e/ou que trabalhem com Direitos Sociais.

VAGAS: 40

INSCRIÇÕES AQUI!

VALORES DE INSCRIÇÃO:
R$ 100,00 Pós-graduandos e Docentes
R$ 90,00 Graduandos, Militantes e Trabalhadores do SUS

Os valores deverão ser depositados na seguinte conta:

Banco do Brasil
Agência: 6806-3
CC: 3108-9
CNPJ: 51.717.445/0001-28

ENCAMINHEM OS COMPROVANTES PARA: apsp.saudepublica@gmail.com a/c Daniele (a vaga só é assegurada após o envio do comprovante de depósito)

REEMBOLSO: Caso haja desistência da realização do curso, o inscrito pode solicitar reembolso em até 10 dias antes do início do curso, recebendo 50% do valor pago.

CONTEÚDO:

Eixo 1: A Política Pública é Política? Onde está o SUS?
Ementa: Apresentar o conceito teórico sobre política como categoria de disputa de interesses e conflitos, na dinâmica em que o poder contrasta com a concepção de política pública como atividade isenta para o bem comum.
Bibliografia:
CORREIA, Marcus Orione Gonçalves. Por uma crítica imanente sobre os limites das políticas públicas de direitos sociais e o Estado na produção do bem comum no modo de produção capitalista. Saude soc. [online]. 2015, vol.24, suppl.1
MARX, Karl. Manifesto do partido comunista. Várias edicões

Eixo 2: O Estado brasileiro e a Constituição Cidadã: Direitos Reconhecidos ou Negados?
Ementa: A abordagem discute criticamente as noções genéricas sobre o Estado e o direito social na realidade brasileira. Desse modo, expõe os fundamentos da restrição dos direitos sociais no cenário neoliberal pós Constituição Cidadã de 1988.
Bibliografia:
BEHRING, Elaine Rossetti; BOSCHETTI, Ivanete. Política Social: fundamentos e história. São Paulo, Cortez, 2011. P.147 a 164.
MARX, Karl. Crítica ao Programa de Gotha. Várias edições.
BOSCHETTI, Ivanete. Estado Social Capitalista. In: ___. Assistência Social e trabalho no capitalismo. p. 23-58.

Eixo 3: A Saúde como Negócio? As Formas de Restrição do Direito à Saúde no Brasil.
Ementa: A temática desenvolverá a relação social em saúde na forma histórica do capitalismo. Logo, discutirá a mercantilização da saúde na totalidade da vida social e suas expressões no Estado Nacional, nas profissões em saúde e na política em gestão.
Bibliografia:
ILLICH, Ivan. Capítulo II. A máscara sanitária de uma sociedade mórbida. In: ____. A expropriação da saúde: Nêmesis da medicina. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira. 1975, p. 43-74.
MENDES, Áquilas. A Saúde Pública brasileira no contexto da crise do Estado ou do Capitalismo?. Saúde e Sociedade (USP. Impresso), v. 24, p. 66-81, 2015.
CARNUT, Leonardo; NARVAI, Paulo Capel. Avaliação de desempenho de sistemas de saúde e gerencialismo na gestão pública brasileira. Saúde e Soc. 2016; 25:290-305.

Eixo 4: Reforma Sanitária Brasileira: quais são os rumos?
Ementa: Este eixo discutirá o ideário da Reforma Sanitária Brasileira e o papel da militância sanitarista na história brasileira. Contudo, a abordagem visa um balanço crítico da concretização desse ideário na política pública em saúde e quais as alternativas para a afirmação de princípios e superação de impasses.
Bibliografia:
AROUCA, Sérgio. O dilema preventivista: Contribuição para a compreensão e crítica da medicina preventiva. Rio de Janeiro, Editora Fiocruz/Unesp.2003. Capítulo VII.
OLIVEIRA, Jaime. D. A. Reformas e Reformismo: “Democracia Progressiva” e Políticas sociais (ou “Para uma teoria política da Reforma Sanitária”). Cadernos de Saúde Pública, RJ. 4(3): 360-387, out/dez, 1987.
PAIM, JS. Reforma sanitária brasileira: contribuição para a compreensão e crítica [online]. Salvador: EDUFBA; Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2008. 356 p. ISBN 978-85-7541-359-3.

Eixo 5: O que fazer? Dilemas e perspectivas para a Saúde Coletiva.
Ementa: Em um momento histórico de ofensiva conservadora sobre o trabalho e os direitos sociais, a persistência de alternativas sociais transformadoras convive com a resignação, o “possibilismo” conciliatório e saídas atenuantes pela institucionalidade e a situação vigentes. Propomos a partir da posição política anticapitalista, refletir sobre a práxis transformadora dos sujeitos inseridos na prática social de saúde na realidade brasileira a fim de intervir no curso da história.
Bibliografia:
MARX, Karl. A Guerra Civil na França. Várias Edições.
WOOD, Ellen Meiksins. Democracia contra o Capitalismo: a renovação do materialismo histórico. São Paulo: Boitempo, 2010.

Facilitadores:
– Ana Alice Freire (HIAE e FSP-USP);
– Áquilas Mendes (FSP-USP e PUC-SP);
– Daniele Correia (DIESAT e PUC-SP);
– Leonardo Carnut (UNIFESP);
– Samara Jamile Mendes (FCF-USP);
– Tarsila Lopes (FSP-USP)
– Virgínia Junqueira (UNIFESP)

Alimentação e Nutrição
– Juliana Jesus (FSP-USP)
– Lúcia Dias Guerra (Universidade Anhanguera)

Arte e Estética
– Almara Mendes (MPT e Célia Helena Centro de Artes e Educação)

Moderadores de Aprendizagem:
Aila Santos (PUC-SP), Brunna Verna Gondinho (FOP-Unicamp), Carolina Coviello (FCMSCSP), Christian Schiek (EE-USP), Cynthia Rezende (HCRP-UE), Daniel Figueiredo Alves (FCMSCSP), Dalila Freitas (CEBES-Ribeirão Preto), Francílio Santos (Instituto Sírio-Libanês), Jaqueline Bulgareli (FOP-Unicamp), Kelly Amaral (HCRP-UE), Natália Gonçalves (FMUSP), Paula Etlinger (FSP-USP), Sonia Alvarenga Pinto (Sindicato Enfermagem SP), Thais Goraieb (FCMSCSP) e Vivian Zanholo (Direito Sanitário-FOC).

METODOLOGIA:
Cada Eixo será desenvolvido em 4 horas. Os facilitadores apresentarão uma proposta pedagógica apresentada no primeiro encontro cuja ênfase será dada ao uso metodologias ativas de ensino-aprendizagem, especialmente à Sala de Aula Invertida e à Tempestade de Ideias com uso de Questões Disparadoras.

apspweb

nada