Pesquisadora da FSP USP ganha Menção Honrosa concedida pelas Nações Unidas por sua pesquisa sobre mulheres migrantes estrangeiras

Ana Cecilia Andrade de Moraes Weintraub, psicóloga e mestre em Ciências, pela Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo. Pesquisadora do Laboratório Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em Saúde Pública (LIESP), recebeu Menção Honrosa concedida pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) como reconhecimento de sua dissertação de mestrado.

 


A dissertação premiada, orientada pela Profa. Dra. Maria da Penha Costa Vasconcellos, teve como título “Itinerários percorridos por mulheres migrantes estrangeiras na cidade de São Paulo: modos de fazer a vida na cidade”. A investigação privilegiou o método etnográfico e analítico sobre os modos de vida, no contexto urbano, de cinco mulheres estrangeiras em São Paulo.

 

O prêmio foi concedido pelo ACNUR por meio da Cátedra Sérgio Vieira de Mello, lançada em 2010 com o objetivo de divulgar o direito internacional humanitário, os direitos humanos e os direitos dos refugiados.

 

A pesquisa teve por objetivo compreender como mulheres imigrantes constroem no espaço da cidade formas de convívio e negociações, conseguem acolhimento e respostas às suas necessidades e investem no pertencimento de redes sociais de apoio configurando novas formas de levar suas vidas.

A partir de contato inicial realizado em uma instituição religiosa na cidade de São Paulo que recebe mulheres estrangeiras, selecionaram-se cinco dessas mulheres: três solicitantes de refúgio, uma imigrante e uma egressa de sistema prisional propondo-se a pesquisadora a acompanhá-las, em diferentes períodos e situações, nas suas atividades cotidianas.

A proposta possibilitou a realização de uma etnografia e observação participante em profundidade de seus itinerários na cidade. Os itinerários percorridos e acompanhados pela pesquisa mostraram diversas formas de construção de sociabilidade e de novas estratégias na vida dessas mulheres bem como diferentes modos de relação com as instituições às quais elas recorriam para apoio.

 

De modo geral, percebe-se que, sendo mulheres, e estrangeiras, a transitoriedade de suas estadas na cidade é atravessada por interações com outras pessoas, com um trabalho ou uma atividade de lazer ou mesmo com as instituições de ajuda. Dentre estas interações percebe-se que as relações de ‘ajuda efetiva’ se dão, principalmente, nos espaços fora das instituições, ou seja, nas redes de sociabilidade criadas e nos espaços acessados e acessíveis da cidade.

  • Veja aqui, o certificado do prêmio: